terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Caminho


Debito um cigarro após o outro
Olhos postos no vazio à procura de mim entre a chuva que cai
O frio não me incomoda, aceito-o em comunhão de alma
No silêncio temperado por um acorde
Respiro o sorriso que perdi e não me falta
Não me apetece apetecer o teu corpo no meu
Ás vezes só porque sim
Na monotonia de um nada que aparta o medo de cair
Ser no sonho e mais além por um dia
Foi assim


3 comentários:

Anónimo disse...

Gostei mto. Aliás é a "tua cara".
Bjo e continuação ;)
Ana Amaral

Carol disse...

E já te "re"encontraste ?

Respira sempre ... e ouve-te no silêncio ... ai encontras-te ...

Beijo ... :)

Ana Costa disse...

Quando escreves assim...