terça-feira, 23 de junho de 2009

São João


O S.João é daquelas noites em que a malta do Porto não se importa mesmo nada de ir para a rua levar umas marteladas, sempre com um sorriso de contentamento, pondo até a cabeça de feição para as ditas serem mais sonoras. A noite começava invariavelmente com uma "sardinhada" de febras de porco (o peixe não quer nada comigo e vice-versa), depois um encontro com os amigos na Praça da Batalha, descendo até às Fontainhas para ver as cascatas, andar de carrocel e beber umas ginjas nos "tirinhos", descendo depois a Rampa da Corticeira até ao Douro, com passagem pela Ribeira para "abastecer" antes de ir descansar os pés para os Aliados à espera do fogo de artifício. A festa rija começava então, naquela época em que só em noites contadas podia chegar a casa depois de o dia nascer, invariavelmente na praia - se bem que nunca percebi muito bem qual era o espírito de, depois de horas aos saltos e quilómetros nos pés nos dirigir-mos pela Avenida da Boavista abaixo, mais mortos do que vivos.
Hoje a tradição mudou e a festa deslocalizou-se, da baixa do Porto para as suas margens.
Mas logo lá estarei eu, de martelinho numa mão e "bejeca" na outra. Porque nesta noite só o Porto importa. E a rua é de todos.

2 comentários:

Ana Costa disse...

Porto, a minha cidade de eleição!

fairytales disse...

Naquela que é uma das noites mais longas do ano, não podia sem dúvida faltar a folia das marteladas, dos alhos-porros e dos balões de S. João, que sobem, sobem sem parar no céu escuro e que são a alegria de miúdos e graúdos, porque aquele balãozinho ocupa um pedacinho de céu nessa noite, e voa alto e bem longe, tal como os sonhos....numa noite de S. João...